5 habitos italianos para levar de volta para o Brasil

5 hábitos italianos para levar de volta para o Brasil

Hoje, faz um mês que cheguei na Itália e, ao mesmo tempo que parece que faz muito mais tempo que estou aqui, também parece que foi esses dias que fechei a mala e me despedi do meu namorado no aeroporto depois de passar uma hora de nervoso na fila do checkin.

Mudar de cidade faz com que a gente tenha que resolver muita coisa em pouco tempo até ficar confortável e começar a viver o dia a dia e aproveitar. Ao mudar de país, então, há ainda mais burocracias para fazer, além dos novos hábitos e do idioma diferente que você precisa aprender o mais rápido possível para, bem, começar a viver o dia a dia e aproveitar.

Com apenas 30 dias no país, estou bem longe de dominar o idioma ou de ter resolvido todas as tretas iniciais. Mas já consigo me virar muito bem e até aproveitar o estilo de vida mais simples de uma cidade de apenas cinco dígitos de habitantes, a ponto de imaginar como eu poderia levar alguns hábitos italianos de volta para casa:

Aperitivo

aperitivo italia

No fim da tarde e começo da noite, é comum ver os bares cheios de turminhas tomando um drink e comendo alguma coisa. É a hora do aperitivo, uma coisa beeem italiana, bastante parecida com o nosso happy hour. Mas é melhor, porque costuma vir com um prato de petiscos junto ou até um buffet para se servir à vontade.

E até a torradinha com presunto na Itália é gostosa. O vinho, então…

Não confirmo nem nego que já tenha literalmente jantado durante um aperitivo, de tanta comida que vem. Mas também já fui a um bar que deu uma tigela de batata chips para duas pessoas num aperitivo. Então, descubra quais são os bares que fazem bons aperitivos na sua região e se agarre a eles com todo o seu amor por comes e bebes.

Buongiorno!

loja italiaParece até aquela cena em A Bela e a Fera quando a Bela chega no vilarejo e todo mundo diz “bonjour”.

A palavra, aqui, é buongiorno, e todo mundo diz para todo mundo. Até para mim, que estou há três semanas na cidade e não sou conhecida por mais do que três pessoas, sendo que apenas duas sabem meu nome e uma com certeza escreve errado.

E, quando alguém te buongiorna, você é uma pessoa educada e buongiorna de volta sem nem pensar direito – mais de uma vez respondi buongiornos que nem eram para mim, mas recebi outros de volta.  Mas o dia de todo mundo começa bem mais alegrinho apenas por desejar isso a estranhos! <3

 

Macarrão por peso

A gente não costuma ter balança na cozinha no Brasil, né? Na Itália, é comum ter e eu uso praticamente todo dia, porque praticamente todo dia como macarrão. Aqui, aprendi que a melhor maneira de garantir que você não vai fazer macarrão demais é pesar antes de cozinhar!

Uma boa porção por pessoa é de 80g a 120g, dependendo da fome. Eu normalmente como 80g e fico satisfeita, ou até menos, se for comer uma salada ou uma carne também.

macarrao italia

Outra vantagem de pesar o macarrão é ter noção do quanto a gente come. No Brasil, costumo fazer um pacote de macarrão em uma refeição para duas pessoas – e um pacote de macarrão tem 500g! É tanta comida (e tão baratinha, hehe) que ainda tenho alguns sacos que comprei na minha primeira semana no país.

Tudo de bicicleta

bicicleta italiaA cidade onde eu moro (na verdade, a maior parte da região do Veneto) é muito plana. Então, andar de bicicleta é tão tranquilo que a minha nem tem marcha!

Todo mundo tem uma bicicleta e a usa como meio de transporte para o dia a dia – todo mundo mesmo, de crianças a idosos. E é tudo tão perto que dá até para ir aos comunes vizinhos de bike e chegar lá em cerca de meia hora! Para atravessar a cidade toda, demora menos de 10 minutos.

Para ajudar nessa vontade de andar só de bicicleta pelo resto da vida, há um forte respeito ao ciclista no trânsito aqui. É raro ouvirmos notícias de atropelamentos e outros acidentes com bicicletas, e eu me sinto bem segura até pedalando na estrada, mesmo sem acostamento: todos os carros diminuem a velocidade e dão uma boa distância ao ultrapassar quem está de bike.

Hidratadíssima

A água na Europa é a tal da água dura: ela tem muito calcário, mais em algumas regiões que em outras. Apesar do cheiro e do gosto esquisitos, consumi-la não faz mal para a saúde. Mas é cruel com o cabelo e a pele!

Para o cabelo, eu trouxe o creme que uso normalmente para dar aquela hidratada semanal (é o Morte Súbita da Lola) e ele tem segurado bem. Percebo que meu cabelo suja mais rápido que no Brasil e fica com a raiz mais pesada, mas não está mais seco nem quebradiço.

Para o rosto e o corpo, deixei para comprar aqui porque não costumo usar nenhum creme – sinceramente, odeio a melequeira que fica! Mas, depois de uma semana me sentindo um lagarto ao sair do banho, vi que era realmente necessário. Então, comprei um hidratante mais fluido para o corpo e um mais grosso, tipo o azulzinho da Nivea, para o rosto.

habitos italia 05
Frio + hidratação = cadê os poros?????

Arrisco dizer que, apesar da água, minha pele nunca foi tão bonita! Não sei se é um hábito que conseguirei levar para o Brasil, já que o creme mais grosso vai bem no frio mas, no calor, deve ficar a melequeira que odeio. Talvez eu acabe procurando um mais leve. 😉

***

Essa semana, fiz uma newsletter falando 30 coisas que aprendi em 30 dias na Itália. Se você não for inscrito, é só clicar aqui e colocar seu email até o dia  que eu envio até o dia 23/12 (depois disso, já devo enviar outra!).

Ah, o blog também tem uma pasta bem linda no Pinterest, com vários pins como este:

5 hábitos italianos para levar de volta para o Brasil

Compartilhar

  • Sobre
giovana penatti perfil

Giovana Penatti

Oi 🙂 Meu nome é Giovana, sou jornalista e criei o blog para falar de viagens, da vida viajando, da falta que faz viajar! Originalmente, sou de Piracicaba-SP. Hoje, moro na Itália. Sou formada em jornalismo, tenho um cachorro chamado Bernardo, gosto de pizza e roo unhas o tempo todo. Para saber mais sobre o blog e entrar em contato, clique aqui!

  • Comentários