Praia em Londres: onde tomar sol à beira do Tâmisa

Veja onde fica e como chegar na praia escondida de Londres, para tomar sol nos dias de verão às margens do rio Tâmisa!

Há algumas semanas, fui impactada no Instagram por um Reels de uma moça que dizia “você sabia que tem uma praia escondida em Londres?”

Eu não sabia, então assisti até o fim para entender do que se tratava! Ela entrava por uma via bem estreita, onde se lia uma placa escrita “Pelican Stairs”, e dava em… Bom, de certa forma, uma praia mesmo! Então, salvei o lugar no Google Maps e pensei que, algum dia, iria lá ver.

Mas, como você sabe, algum dia, quando você mora no lugar, muitas vezes vira um nunca. Por isso, eu me programei, vi a rota do transporte público e, num dia de folga, fui!

Eu poderia passar alguns parágrafos aumentando sua expectativa de como eu encontrei a praia em um dia nublado e caminhei à beira do Tâmisa de forma melancólica e poética, mas vamos economizar o nosso tempo: sim, eu cheguei no lugar certo. Mas a maré estava alta. Portanto, o que eu vi foi isto:

Pelican Stairs, acesso à "praia" em Londres

Só não perdi a viagem porque nunca tinha chegado tão perto do Tâmisa. Desci até esses degraus mais molhados e pude sentir debaixo dos meus pés a força do rio. Não dá para brincar com a força da água. Voltei rapidinho. (também vi uma FORCA ali do lado, mas não vou postar a foto porque não sei explicar o que ela tá fazendo ali e seria muito mau gosto.)

Por isso, fica o aprendizado: o rio também tem maré alta e baixa, e você pode consultá-la rapidinho procurando por “Thames tide” no Google. Além disso, você pode clicar aqui e ver direto no site da BBC Weather, que mostra a maré medida na London Bridge. Como não fica muito longe dessa região, dá para levar como parâmetro.

Meu dia de sol na praia em Londres

Claro que não me dei por vencida. Alguns dias depois, saiu um sol e quase sem nuvens no céu. Praticamente implorava por uma praia! Consultei o site acima e vi que a maré baixa seria em 40 minutos. Vi no CityMapper quanto tempo demoraria para chegar lá de novo (dessa vez, de metrô, porque de ônibus demorou muito e não valeu a uma libra economizada): 40 minutos!

Então, calcei minha bota, vesti meu colete de pelúcia e, com uma roupa que não tinha nada a ver com um dia na praia, fui torcendo para encontrar a tal praia londrina.

A estação mais próxima dali é a Wapping, do Overground. Ao sair dela, é só virar à esquerda e caminhar por menos de 10 minutos. Vá pela calçada da direita e preste atenção nas vielas que aparecerem para não perder a entrada, porque é realmente bem discreta. Mas, se for um dia bonito como aquele, isso será difícil de acontecer: tem bastante gente indo para o mesmo lugar que você.

Dessa vez, com a maré baixa, a praia de pedras do rio Tâmisa se revelou no fim da escada. E, ao chegar no fim dela, vário grupinhos – agora que as regras do lockdown permitem que até seis pessoas se encontrem ao ar livre – sentados apreciando a vista.

Sinceramente, não é um lugar lá tãããão convidativo. O Tâmisa, a essa altura – ou melhor, em Londres – não é lá muito bonito. É um rio marrom, grosso.

O cheiro também é forte. Afinal, o Tâmisa não é exatamente um rio limpo. Na verdade, li nesta matéria aqui que 39 milhões de toneladas de esgoto caem no rio todo ano! Essa é uma quantidade muito maior que qualquer coisa do que eu consigo conceber e que, depois de brincar de empilhar pedras na beira do rio com as mesmas mãos que digito este texto, eu acho que preferia não saber.

Também não sei se saber disso antes me impediria de ir na tal praia de Londres. Enfim, leve algo para forrar o chão e não sentar direto nas pedras com resquícios de… Esgoto.

E, claro, não entre na água.

A faixa da praia não termina nessa parte. Pelo contrário, se estende por algumas centenas de metros, passa por baixo de píeres e tem até partes de areia (lembre-se: tinha esgoto até pouco tempo atrás ali. Não, não vou superar essas toneladas de cocô tão cedo.), o que te permite dar uma caminhada bem diferente em Londres.

Também é um lugar legal para fazer fotos diferentonas, se você for dessas (eu sou): seja perto da água, nos píeres, nas escadas de acesso… Locação é o que não falta.

Ao longo dessa faixa, também descobri que há outras entradas para a prainha. Inclusive, uma mais acessível que a pela Pelican Stairs, e mais próxima da estação Wapping: no caminho, você verá um restaurante chinês chamado River View. Vire nessa viela e pronto: a escada dá na areia, e numa área menos espremida que a outra.

Além disso, dá para ver, na outra margem do rio, uma outra praia que parece mais larga que essa. Pelo mapa, parece ser Cumberland Wharf Park, mas logo depois também fica Bermondsey Beach, que, como o nome diz, é uma praia mesmo, e tem vista para a Tower Bridge.

Sim, já coloquei uma bandeirinha no mapa para ir visitá-la também! E conto aqui e lá no Instagram como foi.

Por fim achei a tal praia escondida de Londres um passeio bem legal, algo diferente para se fazer num dia de sol! Por não ser um lugar tão central e nem ter estações do tube bem perto, me parece ser um lugar pouco conhecido por turistas. E, imagino, deve ser uma delícia tomar uma cerveja ali nos dias de verão!

Antes de visitar a “praia” de Londres

  • Pode ter certeza que seu pé vai enlamear todo. Escolha seu sapato com sabedoria.
  • Leve algo para forrar o chão onde for se sentar.
  • Verifique a maré para não perder a viagem.
  • Compre antes suas comidinhas e bebidinhas – não tem mercado perto dali.
  • Leve seu lixo embora, pelo amor de deus.

Deixe nos comentários alguma sugestão ou curiosidade de passeio em Londres! 🙂

COMPARTILHAR
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
Giovana Penatti

Giovana Penatti

Giovana tem 30 anos e é jornalista. Mal pode esperar pela terça-feira à tarde na qual estará tomando um drink numa praia no Mar Mediterrâneo rindo muito de tudo isso. Enquanto isso, escreve sobre viagem e morar no exterior por aqui!