5 motivos para NAO morar fora do Brasil

5 motivos para NÃO morar fora do Brasil

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email

Morar fora é o sonho de muita gente – imagino que um dos seus também, senão você nem estaria neste post, né?

Eu tive sorte de já conseguir realizá-lo há menos de um ano e posso garantir que morar fora vem com lados bons e ruins. Na maioria das vezes, o lado bom compensa, mas cada um tem que colocar na balança e pensar nisso sozinho.

Neste post, reúno as coisas que, com base na minha experiência, são as que mais pesam na hora de pensar em ir tentar a vida em outro país. E, imagino, serão parecidas com as suas quando você estiver lá:

1. Diferenças culturais

Não subestime as diferenças culturais de outro país. Ter que adaptar seus hábitos, sua rotina e até a forma como você encara o mundo para se encaixar em um novo lugar pode ser muito cansativo!

Mesmo em países que têm a cultura mais parecida com a nossa, essas diferenças existem; são mais sutis, mas estão lá, no bate papo do dia a dia, na forma de responder um convite, nas palavras escolhidas para falar de alguma coisa…

Claro, também é muito positivo estar em contato com formas diferentes de ver o mundo e de viver! Mas se adaptar a uma nova realidade exige um esforço que nem todo mundo está disposto a fazer.

2. Outro idioma

O português, do jeitinho que a gente fala aqui, só existe no Brasil. Então, mesmo que você esteja de mudança para Portugal, se prepare para enfrentar uma barreira de idioma e tudo que vem com ela: frustrações, mal entendidos e uma curva de aprendizado que pode ser mais difícil de superar do que a gente imaginava.

Eu sou muito a favor de aprender mais um idioma, mesmo que seja apenas o básico, por tudo que isso traz junto: novas formas de se expressar, uma nova visão sobre a cultura, mais possibilidades de conversar com as pessoas e até oportunidades melhores no país de destino. Nem todo mundo tem essa facilidade ou essa possibilidade, mas vale tentar o que estiver ao seu alcance!

3. Conversão da moeda

Esse ponto pode nem ser uma coisa ruim, dependendo do país onde você vai: se o Real for mais valorizado, como na América do Sul e alguns países da Ásia, você está em vantagem.

Mas, se seu destino for EUA, Europa, Austrália, Canadá, a conversão da moeda pode ser um problema sério a se enfrentar. Pode até ser que “quem converte não se divirte”, mas, quando são as suas economias da vida inteira que estão sendo passadas para Euro ou Dólar, o coração aperta.

Se serve de consolo, apesar da conversão não render números tão bonitos, o poder de compra nesses países é, de modo geral, maior que o nosso. Então, algo que aqui custa R$ 20 pode ser que custe menos de US$ 5 e, nesses casos, dá na mesma. 😉

4. Datas importantes

Em cinco meses de Itália, eu perdi de passar Natal, Reveillon, Carnaval e meu próprio aniversário com minha família e meus amigos – isso sem contar os aniversários deles, os happy hours, os encontros por acaso na rua… Essa é, provavelmente, uma das partes mais difíceis de morar fora: não estar presente e também não ter ninguém presente.

Cada um sente mais ou menos as datas. Por exemplo, passar o Natal sozinha foi super tranquilo para mim, mas o aniversário foi pesado, ainda mais porque no ano anterior eu tinha passado quase um mês comemorando e, no fundo, esperava que já estaria de volta no Brasil. As chamadas de vídeo até ajudam, mas tem dias que nada resolve a vontade de estar junto.

5. É mais fácil ficar

Sinceramente? Dá um baita trabalho sair do país!

Você tem que economizar dinheiro, pesquisar o lugar para onde vai, procurar passagens aéreas, deixar tudo arrumadinho aqui, colocar a vida dentro de mala… E o pior: se algum dia você resolver voltar para o Brasil, vai passar por tudo isso de novo. Que preguizzzzz

Se você, como eu, vai fazer isso três vezes em um ano, se mudar se torna quase corriqueiro, mas continua sendo uma chatice.

Só que uma chatice “necessária”: confesso que sofri com todas as coisas que listei acima nos meses em que morei na Itália, mas o lado positivo continua falando mais alto para mim. Por isso, quando voltei para o Brasil, há quatro meses, foi com a certeza de que, em pouco tempo, eu arrumaria as malas de novo para voltar para lá.

Terminando o post com uma vibe boa: quem está com saudade dos posts sobre a Itália já tem data para deixar de estar! Se você ainda não segue o Instagram do blog, recomendo que já garanta seu lugar na janelinha para acompanhar esse Round 2. E mais: logo logo, também vamos falar de outros países por aqui! 😉

Conheça a série de posts Jovem Larga Tudo aqui do blog, onde convidados contam como, bem, largaram tudo para morar em outro país!

***

5 motivos para NÃO morar fora do Brasil

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
  • Sobre

Giovana Penatti

Oi 🙂 Meu nome é Giovana, sou jornalista e criei o Beijo e Ciao para falar sobre viagens: dicas de passeios, lugares incríveis, experiências transformadoras e as dores e alegrias de morar fora! Originalmente, sou de Piracicaba-SP. Hoje, moro na Itália. Para saber mais sobre o blog e entrar em contato, clique aqui!

  • Comentários