Minha primeira entrevista de emprego na Italia

Minha primeira entrevista de emprego na Itália

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email

Quem me segue nas outras redes (especialmente no Instagram!) já deve saber que eu trabalho remotamente há mais de um ano. Isso significa que eu presto serviços para empresas independentemente do lugar onde eu moro.

Mas, por uma série de fatores, resolvi buscar uma renda extra aqui na Itália – como você pode ter imaginado, um desses fatores é que o euro a R$ 4,66 está pesadíssimo para converter! Mas eu não queria um trabalho como jornalista, que é minha profissão: estava em busca de um part-time, algo que ocupasse apenas algumas horas no dia e rendesse algum dinheiro a mais.

Então, arrumei meu currículo, enviei para um monte de anúncios na internet, entreguei pessoalmente em vários lugares e, em poucos dias, marquei minha primeira entrevista de emprego na Itália!

Como é entrevista de emprego na Itália

Fui chamada para conversar com o gerente de um restaurante aqui na cidade. Foi um bate-papo bem tranquilo, a única coisa que me deixou realmente nervosa foi meu italiano meio enferrujado.

Ele perguntou sobre a minha vida – a esta altura do campeonato, já acostumei com as pessoas me perguntando o que eu vim fazer aqui – , que tipo de trabalho eu procurava, minhas experiências profissionais e se estava estudando italiano.

Vou fazer um post sobre como mudei meu CV de jornalista para “serviços ao público” para trabalhar na Itália – segue o blog no FB para não perder! 😉

Honestamente, uma entrevista muito parecida com as que fiz no Brasil – se não fosse o italiano voltando à ativa de quem acabou de chegar ao país, teria sido bem tranquila!

Depois, me perguntou minha pretensão salarial – fui sincerona e respondi que não fazia ideia, porque nunca tinha trabalhado na Itália, rs – e eu perguntei que tipo de profissional eles procuravam.

Para terminar, pediu para eu ler um trecho do cardápio, acho que para ter certeza que eu conseguia também ler em italiano, e agradeceu minha presença.

E pronto! Foram uns 15 minutos que eu considerei, mais do que qualquer coisa, como uma experiência: agora, já sabia mais ou menos como era uma entrevista de emprego na Itália e o que precisava melhorar no meu italiano para essa situação.

Mas…

Meu primeiro emprego na Itália

Eis que mais tarde, naquele mesmo dia, recebo uma mensagem dizendo que fui aprovada: minha primeira entrevista de emprego na Itália já me rendeu um emprego!!

Só precisei enviar por email alguns dados – cópia da Carta d’Identità e do Codice Fiscale, contatos, endereço, essas coisas – e marcamos a data do meu início para a semana seguinte.

Agora, estou na minha segunda semana trabalhando como um mix de barista, garçonete, faxineira e o que mais aparecer no restaurante, quatro horas por dia, com um dia de descanso por semana.

Imagem meramente ilustrativa (não sou eu ali, rs)

Pensava que apenas quatro horas seria bem tranquilo, mas é MUITO puxado.

São quatro horas em pé, andando, forçando a cabeça a pensar em italiano e aprendendo a fazer coisas que nunca fiz – eu não tinha ideia que fazer espuma de leite era tão difícil! – , e sempre termino muito cansada, tanto fisicamente quanto mentalmente. Mas também estou aprendendo muito rápido, especialmente no que diz respeito ao idioma, que diariamente destrava um pouco mais; logo que comecei, mal conseguia falar com meus colegas e, agora, já faço até piada com eles.

Quanto ao salário, realmente não sei dizer se ganho bem ou não para os padrões daqui. Sei que são cerca de 8 euros por hora, que é considerado um valor bom. Mas, fazendo a conversão, fica ainda melhor: é praticamente o mesmo que ganhava no Brasil, trabalhando como atendimento numa agência de comunicação por cerca de nove horas ao dia.

Meu trabalho principal continua sendo o remoto, que tem tudo que eu gosto e procuro: flexibilidade de horário e de local, com projetos e clientes que adoro e toda a minha experiência de quase uma década fazendo isso. Mas, por enquanto, esse trabalho extra aqui na Itália está valendo a pena, apesar do cansaço e do stress. 😉

Outras entrevistas que fiz

Depois dela, tive mais algumas entrevistas; estas, para trabalhar em lojas, mas não fui chamada depois.

Em todo caso, seguiram a mesma linha: uma apresentação pessoal para falar da minha experiência e da minha vida, uma explicação sobre o local de trabalho, algumas perguntas particulares e um “a gente se fala na semana que vem se você for escolhida”.

Se quiser saber mais sobre essas entrevistas, que foram para a MAC e a Swarovski, comenta aqui embaixo que eu conto nos Stories do Instagram como foram!

Minha primeira entrevista de emprego na Itália

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
  • Sobre

Giovana Penatti

Oi 🙂 Meu nome é Giovana, sou jornalista e criei o Beijo e Ciao para falar sobre viagens: dicas de passeios, lugares incríveis, experiências transformadoras e as dores e alegrias de morar fora! Originalmente, sou de Piracicaba-SP. Hoje, moro na Itália. Para saber mais sobre o blog e entrar em contato, clique aqui!

  • Comentários