Chegou a Não-Renúncia: sou italiana!

56 dias de espera depois, chegou minha Não-Renúncia!

Nervoso é pouco: o que eu passei nos últimos dois meses ainda não tem nome. Não sei nem contar quantas vezes comecei a chorar do nada em público, quantos dias lutei comigo mesma para sair da cama, quantas unhas roí e quantas vezes planejei voltar para o Brasil sem cidadania mesmo. Até perdi um pouco da noção do tempo: jurava que coisas que aconteceram há quatro dias aconteceram há pelo menos duas semanas.

Hoje, fui ao comune novamente (já tinha ido na segunda-feira, quando enviamos pela terceira vez o pedido da NR), desta vez com um número de telefone específico do consulado de São Paulo, mas que não dá informações ao requerente. Minha esperança era que a oficial do comune pudesse ligar lá para pedir uma posição sobre minha NR. Tinha confiança, porque ela estava super disponível e até sensibilizada com a minha situação: me olhava com pena toda vez que me via, juro!

Logo que cheguei, ela me viu e fez um ??. Pediu um tempinho para terminar outra coisa e logo me chamaria para assinar.

Assinar o quê? Chegou?!

Sim! Minha NR chegou ontem de manhã e, durante o dia, ela preparou o atestado com a assinatura do síndaco. Fui correndo comprar a marca da bollo de 16 euros e assinei uma das vias do documento, que ficou com ela.

E pronto: sono italiana!

Próximos passos

Mas isso não significa que já possa voltar para o Brasil, porque faltam alguns passos.

O primeiro é fazer a transcrição da minha certidão de nascimento (se fosse casada, precisaria transcrevê-la também). Como já falei em outros posts, cada comune opera de uma forma. Aqui, é tudo com agendamento, então precisei marcar uma data na semana que vem para fazer isso e, no mesmo dia, marcarei uma outra data para a carta d’identità (sim, estilo vamos marcar um dia para marcar).

Depois, com a carta d’identità em mãos, posso fazer o pedido do passaporte. E, com o passaporte em mãos, posso comprar a passagem de volta para o Brasil!

Na verdade, eu posso até voltar para o Brasil sem esses documentos . Mas, depois de tanto tempo, não custa esperar mais umas duas ou três semanas para voltar com tudo pronto.

Não tenho nem palavras para agradecer todo mundo que me mandou inbox, DM, email, good vibes e orações nas últimas semanas. Muita gente que nem me conhece pessoalmente, só pelo blog, e tirou um tempinho para me oferecer algum conforto. Fico emocionada de verdade de saber que esses meses de Itália têm me permitido ajudar tanta gente a ver na prática como é realizar esse sonho da dupla cidadania, e, em troca, receber tanto carinho. Muito obrigada <3

***

COMPARTILHAR
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
Giovana Penatti

Giovana Penatti

Giovana tem 30 anos e é jornalista. Mal pode esperar pela terça-feira à tarde na qual estará tomando um drink numa praia no Mar Mediterrâneo rindo muito de tudo isso. Enquanto isso, escreve sobre viagem e morar no exterior por aqui!