O que ninguem conta sobre reconhecer a cidadania italiana na Italia

O que ninguém conta sobre reconhecer a cidadania italiana na Itália

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email

Na próxima semana, tenho dois milestones: um deles é meu aniversário de cinco meses na Itália. Para quem esperava ficar “uns três”, cinco é uma bela duma hora extra. O segundo é a marca dos 60 dias do envio da minha Não-Renúncia ao Consulado de São Paulo.

Normalmente se fala sobre como a espera pelo vigile é a pior parte do reconhecimento da cidadania na Itália. Afinal, você não deve sair de casa, ele pode passar a qualquer momento (para algumas pessoas, até de domingo!), fazer um monte de perguntas, pedir para ver o quarto para garantir que você realmente mora ali…

Por outro lado, a espera pela NR é muito mais livre. Você não apenas pode sair de casa, como pode viajar pela Itália! É a reta final para conhecer pessoas, praticar o idioma e se imergir na cultura do seu novo país antes do fim do processo.

Eu mesma fiz isso: viajei por quase um mês. Fui para Florença, Siena, Roma, fiquei duas semanas um agriturismo perto de Perugia fugindo das ovelhas, sofri por pensar que já estava indo embora da Itália e chorei de alegria inúmeras vezes pelo mesmo motivo. Como os consulados têm até 30 dias para responder, é uma contagem regressiva.

Mas pode dar errado.

Pode ser que você espere menos de 30 dias. Pode ser que seja mais. Pode ser que envie um sollecito, uma diffida, que tente ligar lá, envie email, que o próprio comune se surpreenda com a demora e envie de novo o pedido… E, ainda assim, nada de resposta.

É onde eu estou hoje: quase dois meses depois e quatro PECs depois, silêncio total do Consulado de São Paulo.

Pelo que leio nos grupos de cidadania, meu caso não é isolado: o Consulado de São Paulo é realmente o mais difícil. Ele é responsável por atender, além do estado de São Paulo, o Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Acre e Rondônia. Tem gente que recebe a resposta em uma semana, tem gente que espera três meses. Muitas pessoas estão por volta dos 50 dias, assim como eu.

Queria terminar esse post de uma maneira mais positiva, oferecendo uma solução para isso. Mas, se eu a tivesse, esse post nem existiria: meu processo de cidadania estaria concluído e estaríamos falando sobre como fazer a carta d’identità e o passaporte italiano.

Então, termino com conselhos.

Ao fazer o pedido da NR, aproveite, sim, para viajar, conhecer pessoas e começar a se despedir desses meses de saudades e incertezas. Mas não se jogue totalmente nesse sentimento, porque ele pode durar mais que o esperado. Não compre todos os souvenirs ainda, nem faça todas as viagens de uma só vez. Continue de olho na grana, faça exercícios, ocupe seu tempo e sua cabeça com hobbies e uma nova rotina – eu, além do blog, comecei aulas de canto, que já fazia no Brasil e que sempre me deixa muito feliz.

Principalmente, tome muito cuidado com a sua saúde mental. Às vezes eu consigo chegar em quatro dias seguidos sem ter uma crise de choro, mas na maioria das vezes, não. 

Por aqui, aguardo a NR à base de muito chá de camomila, meditação e passeios para admirar as flores que vão surgindo. Para quem nem trouxe roupa para as estações mais quentes, pelo menos a primavera cria cenários bonitos…

Veja também os outros posts do blog falando de cidadania italiana 🙂

***

O que ninguém conta sobre reconhecer a cidadania italiana na Itália

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
  • Sobre

Giovana Penatti

Oi 🙂 Meu nome é Giovana, sou jornalista e criei o blog para falar de viagens, da vida viajando, da falta que faz viajar! Originalmente, sou de Piracicaba-SP. Hoje, moro na Itália. Sou formada em jornalismo, tenho um cachorro chamado Bernardo, gosto de pizza e roo unhas o tempo todo. Para saber mais sobre o blog e entrar em contato, clique aqui!

  • Comentários