8 dicas para arrumar suas malas para ir morar fora

8 dicas para arrumar suas malas para ir morar fora

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email

Há algumas semanas, eu separei tudo o que eu queria e precisava trazer para a Itália do que ficaria no Brasil, coloquei nas malas e vim embora.

Mas, como este post é para te ensinar a fazer essas malas, vamos desenvolver um pouco mais!

A primeira vez que empacotei a vida pra ir morar fora, quando vim fazer o reconhecimento da cidadania italiana, procurei muito algumas dicas de arrumação de malas para passar um longo período no exterior e não achei. Então, resolvi compartilhar minhas ideias aqui!

Se você gosta mais de vídeo que de texto, é só ir até o final que tem vídeo também, mostrando como foi a arrumação em si!

E, agora, vamos às 8 dicas:

1. O que fica

O primeiro passo é separar o que fica do que vai. Provavelmente, a pilha do “o que fica” vai ser muito maior! Pratique o desapego, mesmo que seja temporário – talvez você queira guardar algumas coisas no Brasil para levar depois, ou porque pretende, algum dia, voltar a morar no país.

Eu fui fazendo o grosso dessa separação aos poucos, dando outro destino para objetos de decoração, utensílios, móveis e eletrodomésticos. O fino, com roupas e bijuterias, por exemplo, foi na hora de arrumar a mala. Meu critério principal, aqui, foi que chegaria na Itália no início do outono, então precisaria muito mais de roupas de frio que de calor!

Neste post dou algumas dicas do que fazer com o que fica!

2. O que vai

Além do guarda-roupa de outono-inverno, priorizei tudo que fosse útil numa casa nova. Pensei assim: que tipo de coisa eu precisaria ter na primeira semana numa casa onde eu não tenho nada e meu dinheiro equivale a 1/5 do que vale no Brasil?

Então, além de vários casacos, segunda-pele, todas as calças, blusas e botas que tenho (quem ver o vídeo no fim do post vai concordar: não é tanta coisa quanto parece), coloquei coisas meio aleatórias como uma panela, uma cafeteira italiana, uma escumadeira e uma concha de feijão, uma toalha de mesa, panos de prato, tripé+luz para gravar vídeos, cabides… E, como meu marido veio duas semanas depois, ele também tinha uma mala enorme de coisas, onde trouxe outra panela, um monte de remédios, um jogo de lençol, duas toalhas de banho…

Nunca ouvi ninguém falar que colocou panelas na mala para se mudar para o exterior, mas já viu o preço da panela em euro? E, bem, coube na mala.

3. “Deixa para comprar lá!”

Como você deve ter percebido, eu trouxe muitas roupas e muitas coisas para a Itália. Por isso, separei uma mala para cada tipo de item! No fim, a mala de coisas ficou até menor do que esperava e pude trazer ainda mais coisas do que o planejado.

Precisava de tudo isso? Bom, mal é que não fez. Dava para comprar tudo de novo aqui? Até dava. Mas aí a gente precisa abrir um tópico e um parênteses para falar sobre dinheiro.

Neste post aqui, uma das dicas que listei foi “levar a metade das roupas e o dobro do dinheiro.” Mas, para morar fora, ainda mais num país onde nossa moeda é desvalorizada, acho que faz mais sentido “levar o máximo de coisas que puder e o dobro do dinheiro.”

Isso porque, só para começar a vida na Itália, gastamos uma pequena fortuna: Airbnb até encontrarmos casa, todas as taxas e caução para o aluguel, além dos gastos com comida e transporte (que acabam se tornando fixos).

Soma-se a isso o fato de trabalharmos remotamente para empresas do Brasil e estarmos gastando em euro, pelo menos até achar trabalho aqui. Fica beeem pesado, e todos 5 ou 10 euros podem fazer bastante diferença no fim do mês!

Por isso, optamos por trazer essa montanha de coisas, que acabou compensando financeiramente também, mesmo precisando de mais uma mala. Falo mais sobre isso ao longo do post!

4. Precisar x querer

E, entre essas duas pilhas de coisa, tem as que você quer ter com você. Minha opinião? Sinceramente, não importa! É você quem sabe da sua relação emocional com as coisas e a importância de ter uma ou outra sempre junto.

Eu, particularmente, não sou tão apegada assim a coisas materiais. Acho que a coisa mais “sem utilidade prática” que trouxe foi minha coleçãozinha de corações de parede, que tem poucas peças, mas comecei a fazer quando fui morar sozinha em São Paulo e já tem contribuições até do México – país que eu nem visitei ainda. Já meu marido, que tem um monte de bonequinhos e outras coisas sentimentais, trouxe uma quantidade maior de coisas que não precisava, mas queria. E tudo bem!

5. Mala de mão também é mala

Tem muito mais espaço para você levar suas coisas para o exterior do que você, a princípio, imagina.

Além da mala que será despachada, é bom lembrar que você tem ainda uma mala de mão – ou seja, mais alguns decímetros cúbicos para encher de coisa!

O lado positivo é que a mala de mão já está inclusa na sua passagem. Então, se você não pretende pagar para despachar a outra mala (digo “a outra” porque imagino que ninguém vá morar fora do país só com mala de mão, né?), existe esse espaço ainda.

Claro, é preciso ficar atento ao que vai nela, ok? Nada de líquidos ou cremes com mais de 100ml ou em potes que não sejam transparentes, objetos cortantes, explosivos ou armas de fogo na cabine do avião.

Leia também: O que tem na minha bagagem de mão?

6. Item pessoal também é mala

A foto é do post de mala de mão, mas, nesse caso, fez as vezes de item pessoal!

Além da mala de mão, você também pode levar um item pessoal! O item pessoal pode ser uma bolsa ou uma mochila, mas é claro que você levará uma mochila porque aproveita qualquer oportunidade para carregar mais coisa na sua mudança para o exterior.

Aqui, vale a mesma dica da mala de mão: cuidado com o que vai colocar para não ter que jogar fora ao passar pelo raio-x.

7. Pesos e medidas

Um dos pontos que você mais deve ficar atento é a dimensão das malas. Cheque os limites no site da companhia aérea e meça as malas, se possível antes mesmo de comprar, para evitar pagar taxas extras.

Além das medidas, atente para o peso! Vale muito a pena comprar uma balança de viagem, que te dirá se sua bagagem ultrapassou ou não o limite de peso assim que terminar de arrumá-las. Via de regra, as bagagens despachadas devem ter até 23kg e a mala de mão, 1okg. Mas confirme antes no site da sua companhia aérea.

E, agora que você sabe que tem pelo menos três bagagens para levar suas coisas, caso uma delas ultrapasse o limite de peso, é só redistribuir! 😉

8. Upgrade da passagem

Super dica para levar duas malas despachadas: em vez de comprar o volume extra, veja se a companhia aérea oferece um upgrade que já tenha os dois inclusos!

Eu fiz isso pela Alitalia. Não me lembro exatamente dos valores, mas a categoria mais econômica não permite despachar nenhuma mala, enquanto a segunda mais econômica, por cerca de R$ 200 a mais, permite despachar duas (e oferece alguns outros benefícios, tipo mais pontos no programa de milhas e a possibilidade de escolher o assento).

Lembro que, quando vim da Itália para o Brasil, paguei uns 150 euros na bagagem adicional – era outra companhia aérea, mas serve para ter uma ideia de como esse upgrade pode ser uma opção bem melhor! Então, verifique se a empresa que você escolheu também tem algo do tipo.

passaporte brasileiro viagem italia

Tem mais alguma dica para arrumar a mala para ir morar fora? Conte nos comentários! 🙂

Vídeo

8 dicas para arrumar suas malas para ir morar fora

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
  • Sobre

Giovana Penatti

Oi 🙂 Meu nome é Giovana, sou jornalista e criei o Beijo e Ciao para falar sobre viagens: dicas de passeios, lugares incríveis, experiências transformadoras e as dores e alegrias de morar fora! Originalmente, sou de Piracicaba-SP. Hoje, moro na Itália. Para saber mais sobre o blog e entrar em contato, clique aqui!

  • Comentários