Varios nada pra fazer em Vicenza, na Italia

Vários nada pra fazer em Vicenza, na Itália

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email

Vicenza foi uma cidade que foi crescendo na minha curiosidade até eu visitá-la. Primeiro tinha interesse por ser a capital da província onde meu bisavô nasceu. Depois, me contaram que é uma cidade com uma boa oferta de trabalho – e, como parte das minhas viagens pela Itália é para conhecer potenciais cidades para morar nos próximos meses, agora eu tinha, além da curiosidade, um bom motivo para ir.

Cheguei a Vicenza em uma noite de segunda-feira, umas nove horas. Sabendo que era uma cidade grande, meu primeiro estranhamento foi encontrar tudo fechado e as ruas praticamente vazias. Fazendo um paralelo com Verona, que é cidade próxima dali e que também é capital da província, sua praça central, a Piazza Delle Erbe,  está sempre cheia, inclusive a noite; a Piazza dei Signori, que é a central de Vicenza, estava tão vazia que até deu um medinho de estar ali – e eu nunca senti medo andando sozinha à noite em nenhuma cidade na Itália. Mas quem mora na cidade garante que é tranquilo; vai ver foi mais o estranhamento mesmo.

Piazza dei Signori em Vicenza

Talvez de segunda-feira muitos bares e restaurantes não abram, mas até na cidade que eu moro, que é pequenininha, se encontra alguma coisa. Em Vicenza, tive que me contentar em pedir um kebab no quarto do B&B e dormir cedo para aproveitar o dia seguinte.

Use meu link no Booking.com para reservar qualquer hotel e receba R$ 50 de volta após a sua estadia!

Logo que acordei, comprei o ingresso para o Teatro Olímpico e me programei para participar da visita guiada das 15h. Com isso, eu teria umas cinco para conhecer todo o centro histórico com calma, almoçar tranquila e, depois do Teatro, voltar para a estação de trem.

Mas cinco horas não foram o suficiente. Foram muito mais que suficiente!

O que fazer em Vicenza em uma tarde?

O centro de Vicenza é tão pequeno que, em meia hora, você vê tudo. A maioria dos pontos de interesse fica na Piazza dei Signori: ali estão o Palazzo del Capitaniato, a igreja de San Vicenzo, a Torre Bissara e a Basilica Palladiana. Logo atrás, na Piazza delle Erbe, há a Torre do Tormento. Perto dali, no Corso Andrea Palladio, pode-se ver diversos pallazos criados pelo arquiteto que dá nome à rua. E, em frente ao Teatro Olímpico, há o Pallazzo Chiericati.

E só!

Com exceção do Teatro Olímpico e do Pallazzo Chiericati, que é o Museu Cívico da cidade, nada está aberto para visitas. Ou seja, ir a Vicenza é, essencialmente, um passeio para admirar os prédios projetados por Palladio.

Estátua de Palladio: “e se a gente colocar umas colunas na frente desse prédio?”

Isso não é pouca coisa: Andrea Palladio é um dos arquitetos mais importantes da história e seus trabalhos fizeram de Vicenza Patrimônio Mundial da Unesco. Ele revolucionou a arquitetura no século XVI com inspiração nas construções clássicas romanas e seus Quatro Livros da Arquitetura são até hoje referência para esses profissionais.

Só que, para quem é leigo em arquitetura, não é um passeio empolgante. É claro que as construções são lindas, mas acho que, para admirar Vicenza como um museu arquitetônico a céu aberto, é preciso ter um interesse bem específico. E, sinceramente, não é o meu!

Além do passeio no centro histórico, cogitei ir à Villa La Rotonda, que é uma das construções mais famosas de Palladio. Trata-se de uma mansão fora da cidade com um jardim lindo aberto ao público (a villa em si só abre às quartas-feiras). Mas o ônibus até lá demoraria muito e, como queria mais ver o Teatro, acabei deixando quieto. Sinceramente, não me arrependi; seria uma viagem de uma hora para ir e outra hora para voltar para ver mais um prédio bonito.

Então, passei o dia dando uma volta pelas ruas meio sem rumo e sem ter o que fazer até dar o horário de visitar o Teatro.

Ao visitar Vicenza, não deixe de fazer a visita guiada no Teatro Olímpico. Veja aqui como funciona!

Vale a pena visitar Vicenza?

Vicenza definitivamente não é uma cidade muito turística, nem parece ter esse foco. Sinceramente, nem não consigo sequer recomendá-la caso você tenha uma tarde livre ao visitar Verona ou Veneza; acho que, se você mora na Itália e tiver um sábado sem fazer nada, compensa visitar um dia para conhecê-la.

Mas, caso você também pretenda morar na Itália, todo mundo com quem eu conversei confirmou que é realmente um ótimo lugar para se viver. É tranquila, com oportunidades de emprego, custo de vida relativamente baixo e tão segura quanto qualquer outra cidade grande.

Para não dizer que só falei mal: a cidade é bonita, sim!

***

Vários nada pra fazer em Vicenza, na Itália

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
  • Sobre

Giovana Penatti

Oi 🙂 Meu nome é Giovana, sou jornalista e criei o blog para falar de viagens, da vida viajando, da falta que faz viajar! Originalmente, sou de Piracicaba-SP. Hoje, moro na Itália. Sou formada em jornalismo, tenho um cachorro chamado Bernardo, gosto de pizza e roo unhas o tempo todo. Para saber mais sobre o blog e entrar em contato, clique aqui!

  • Comentários