Como se apaixonar por Bolonha em apenas um dia

Como se apaixonar por Bolonha em apenas um dia

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email

Vamos começar tirando uma coisa da frente: eu amo Bolonha e irei defendê-la até o fim dos meus dias como um dos destinos mais subestimados da Itália!

Bolonha é uma das cidades mais antigas do país. Os três “apelidos” são la rossa, la grassa e la dotta e já dão uma boa ideia do que esperar: ela é conhecida principalmente pela arquitetura, pela comida e pelo “conhecimento”, todos construídos com séculos de tradição que são facilmente notados. E estar em meio a séculos de história é incrível!

Aproveitando os três apelidos da cidade, dividi os passeios mais importantes e garanto que dá para fazê-los em um dia só.

catedral bolonha turismo

Mas, antes, uma dica espertíssima para ganhar tempo na cidade, hehe: é muito tranquilo se locomover em Bolonha de bicicleta! Há um serviço de bikes compartilhadas que se chama Mobike (é como a Yellow em São Paulo) e tem bicicletas espalhadas pela cidade toda. Carregue com 5 de créditos e, a cada 30 minutos de uso, o aplicativo desconta 0,30 da sua conta – são mais de 8 horas pedalando! É mais que suficiente para rodar tudo em dois dias. O serviço existe em várias outras cidades, como Milão, Florença e Mântova, e você pode aproveitar os créditos que sobrarem nelas.

Caso prefira, também dá para andar a pé e de transporte público, claro. Mas, como os principais pontos turísticos ficam no centro histórico, provavelmente só andará a pé 😉

La rossa

torre asinelli bolonha vista 04

Bolonha é conhecida como “a vermelha” por conta dos telhados vermelhos, que dão um tom de tijolo para a cidade. A melhor forma de vê-los é subindo na Torre degli Asinelli, uma das famosas Duas Torres de Bolonha, que estão em pé há quase mil anos! Neste post falei um pouco mais sobre ela e sobre como é a subida dos 498 degraus.

Ainda falando da arquitetura, outro ponto inconfundível de Bolonha são os porticos. Dizem que eles foram construídos para sustentar o peso de novos andares nos edifícios conforme a cidade recebeu mais estudantes com o crescimento da Universidade de Bolonha. Hoje, são mais de 40km de porticos só no centro histórico e eles quebram um baita galho quando chove. 😉

bolonha portico

Pertinho das Duas Torres fica a Piazza Maggiore, praça central de Bolonha. Ao redor dela ficam outros pontos conhecidos da cidade: a Catedral de São Petrônio, padroeiro da cidade; a fonte de Netuno, famosa escultura do deus romano; a Salaborsa, biblioteca com uma arquitetura linda e um chão de vidro que permite ver ruínas antiquíssimas; e o Palazzo D’Accursio, do qual a Salaborsa faz parte, que é a prefeitura da cidade e também tem alguns museus.

basilica sao petronio bolonha
Basília de São Petrônio

Outra igreja que vale muito a visita é a Basílica de Santo Stefano. Trata-se de um complexo de quatro igrejas (achou muito? Originalmente, eram sete!) muito lindo, com áreas que reproduzem locais da Paixão de Cristo e arte sacra antiquíssima.

Aproveitando que estará pelo centro histórico, não esqueça de passar pela Finestrella para dar uma olhada em um canal que corta Bolonha. Antes, eles eram muito utilizados e, agora, são vistos em alguns lugares estratégicos. A Finestrella é mais famosa, mas, na rua ao lado, eu acho a vista mais bonita 🙂

canal bolonha

La dotta

A mais antiga do mundo ocidental, a Universidade de Bolonha foi fundada em 1088 e é responsável pelo apelido “a culta” da cidade.

No século XVI (ano 1501), na época da remodelação do centro com a construção da Piazza Maggiore, a sede da universidade passou para o Archiginnasio, por onde ficou por 300 anos. Hoje, essa construção belíssima é uma biblioteca e uma das principais atrações para turistas que visitam Bolonha.

É interessantíssimo caminhar pelos corredores observando os brasões nas paredes e no teto, que são homenagens aos formandos da universidade – é possível identificar, por exemplo, a cidade de onde eles são e que curso fizeram. Também é muito curioso perceber os desníveis nas escadas e no chão, tão desgastados que dão uma boa noção de há quanto tempo estão ali e quantas pessoas passaram, nos três séculos da faculdade, por eles.

Mas o que mais chama atenção no Archiginnasio é o Teatro Anatomico, um anfiteatro todo de madeira onde ocorriam as aulas de anatomia da universidade. A sala é impressionante pelos detalhes da arquitetura e das esculturas nas paredes. As que mais chamam atenção ficam no centro da sala e mostram dois homens sem pele, apenas com músculos:

teatro anatomico bolonha 2 teatro anatomico bolonha

Entrar no Archiginnasio é de graça, mas o Teatro Anatomico tem um ingresso de 3 euros.

Além disso, Bolonha tem um monte de museus. Um monte mesmo! Alguns deles são a Pinacoteca Nazionale; o Museo della Storia di Bologna; o MAMbo, de arte moderna; o Museo Civico Archeologico e até o Gelato Museum Carpigiani, dedicado à história do gelato italiano.

La grassa

osteria dellorsa bolonhesa

A culinária de Bolonha é internacionalmente conhecida. Quem nunca colocou uma carne moída no molho vermelho e chamou de molho à bolonhesa, né? Estando na cidade, aproveite para comer o ragù bolognese original e ver que o molho à bolonhesa é bem mais do que isso. Um lugar bastante recomendado – e frequentado – pelos locais é a Osteria dell’Orsa, que oferece o tagliatelle à bolognese por 6,50. Falei dela neste post!

Há uma infinidade de outras osterias na cidade. Outra recomendada é a Marsalino, mas não posso falar sobre as refeições dela porque fui apenas na hora do aperitivo. Isso, eu posso recomendar: os drinks são deliciosos, saem por 5 e acompanham bruschettas incríveis, além das tradicionais batatas chips!

Outro bar legal é o Le Stanze, que fica dentro de uma antiga capela (ou foi modelado para parecer isso?). O preço é um pouco mais alto: 10 euros com uma mini-jantinha e um drink caprichado. Vale mais pelo ambiente curioso que pelo aperitivo em si. Ele também parece ser frequentado por um pessoal um pouco mais velho que o Marsalino, que é mais jovem.

Para a sobremesa, procure a Majani, uma loja tradicionalíssima de chocolates que está aberta desde 1796! Eles são conhecidos pelos cubinhos FIAT, que são feitos de camadas de diferentes tipos de chocolate, e pelos tortellinis, que são chocolates em forma de pasta com recheio cremoso. Também é um ótimo lugar para comprar souvenires.

Mas… dá pra ver tudo isso em um dia? Olha, até dá. Mas pode ser corrido! Para fazer tudo com mais calma e realmente aproveitar a cidade, eu optei por dois – e já estou louca para fazer mais uma visita, porque alguns pontos, como a visita ao Santuário Madonna di San Lucca, ficaram de fora.

bolonha san lucca
“Se dessa vez der certo, vou a San Lucca a pé” – encontrei essa banca na hora que decidi deixar o Santuário para a próxima visita. Além de apaixonante, Bolonha é mágica!

Ah, para finalizar, recomendo o hostel em que fiquei hospedada, o We_Bologna. Fica próximo à estação de trem e cerca de 20 minutos a pé do centro (de bicicleta, é bem menos!). De longe, foi o melhor hostel que fiquei na vida, com um ótimo café da manhã, staff muito solícito e absolutamente limpo e organizado.

Use meu link no Booking.com para reservar um hotel em Bolonha e receba R$ 50 de volta após a sua estadia!

Mapa

Vídeo

***

Como se apaixonar por Bolonha em apenas um dia

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
  • Sobre

Giovana Penatti

Oi 🙂 Meu nome é Giovana, sou jornalista e criei o blog para falar de viagens, da vida viajando, da falta que faz viajar! Originalmente, sou de Piracicaba-SP. Hoje, moro na Itália. Sou formada em jornalismo, tenho um cachorro chamado Bernardo, gosto de pizza e roo unhas o tempo todo. Para saber mais sobre o blog e entrar em contato, clique aqui!

  • Comentários