Acqua alta em Veneza: inundacao bate recorde em 2019

Acqua alta em Veneza: inundação bate recorde em 2019

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email

Acordamos, hoje, com fotos e vídeos chocantes feitos nesta noite em Veneza: barcos no meio da cidade, água entrando pela porta dos hoteis, grandes ondas batendo em monumentos e a praça São Marcos totalmente submersa.

A acqua alta, nome pelo qual é conhecida a maré alta na cidade, bateu um recorde na noite de 12 para 13 de novembro de 2019. Desde 1966, não se via a água tão alta: a maré chegou a 1,87m e foi declarado estado de calamidade pública. Espera-se, ainda, que o nível seja um pouco mais alto nos próximos dias, o que pode aumentar também os danos, prejuízos e vítimas – duas pessoas morreram por causa das inundações.

Mas, afinal, o que é a acqua alta e por que é algo tão prejudicial para uma cidade que foi montada numa lagoa?

Causas da acqua alta

“Mas todo ano tem inundação em Veneza…”

Sim, é verdade! Todo ano Veneza sofre com inundações. A acqua alta é um fenômeno natural que costuma acontecer no fim do ano, entre outubro e novembro, e tem diversas causas: o vento que vem do sul no mar Adriático e enche a lagoa com mais água do que ela suporta, a pressão atmosférica que faz com que mais água se mova para o norte da bacia e até as influências astronômicas nas marés.

Mas a influência humana também soma bastante nessa equação: temos como agravantes a industrialização da região, com a construção de portos enormes; o aquecimento global, que aumenta o nível do mar em todo o mundo, influencia em tempestades e ventanias em alto mar; e até o impacto dos cruzeiros, que já foi assunto aqui no blog.

Leia também: Finalmente, uma solução para os cruzeiros em Veneza

Então, a acqua alta é, sim, um fenômeno natural e a cidade está relativamente preparada para ele, mas ele tem ficado mais intenso com o passar dos anos como resultado da interferência humana na natureza – e a tendência é piorar.

Além disso, como a diretora do Instituto de Ciências Marinhas do Conselho Nacional de Pesquisas italiano afirmou nesta entrevista, um cenário como o que foi visto nesta semana é imprevisível e os danos, por enquanto, incalculáveis.

Problemas da acqua alta

Quando a água sobe em níveis tão críticos em Veneza, os problemas se acumulam. Não é apenas o prejuízo econômico porque as pessoas não conseguem sequer sair de casa para consumir alguma coisa; a estrutura da cidade é muito danificada (lembre-se que estamos falando de uma cidade construída praticamente sobre um terreno aterrado, que sofre muito com a erosão em suas fundações!), além do patrimônio histórico.

Neste último ponto, é necessário falar especialmente sobre a Basílica de São Marcos.

Na enchente desta semana, a água ultrapassou o nível de um metro dentro da igreja, danificando os mosaicos, as colunas de mármore recentemente restauradas e inundando completamente a cripta, além de criar problemas estruturais por “capilaridade” nos tijolos. É a sexta vez, em 1200 anos, que a basílica é invadida pela água, pois seu sistema de prevenção de enchentes não deu conta da inundação.

Outro prédio conhecido que sofreu com a inundação foi o teatro La Fenice, além das construções do centro histórico.

Cripta da Basílica de São Marcos sendo esvaziada

O que fazer?

Se estiver em Veneza durante um período de acqua alta “normal”, é só esperar algumas horas para que a água baixe e possa continuar seu passeio, ou remanejar o roteiro para conseguir ver tudo que gostaria.

A cidade está preparada para ela: são instaladas plataformas em alguns pontos, como a Praça São Marcos, que sempre alaga por ser um dos mais baixos da cidade; as casas e comércios têm barreiras na frente das portas, para impedir que a água entre; e as lojas até vendem galochas ou sacos plásticos para proteger os pés dos turistas. São caros, tipo 10 euros o par, mas estão ali se você quiser andar no meio da água!

Falando em áreas mais baixas, a acqua alta normalmente só afeta muito essas partes. Então, se você não passar por elas, talvez note apenas que os canais estão mais cheios, mas não veja nenhuma inundação.

Da última vez que estive lá, era época de acqua alta, mas já estava quase toda escoada na Praça São Marcos. Ainda havia alguns pontos cheios, mas era fácil de desviar.

No entanto, em uma situação como a que foi vista nesta madrugada – e que pode piorar nos próximos dias – , recomendo suspender o passeio e ficar de olho nas notícias oficiais, como as redes sociais do comune de Venezaac. Também é uma boa acompanhar a previsão do nível das águas pelo aplicativo Hi!Tide, que é inclusive recomendado pelo comune.

LEIA OS OUTROS POSTS SOBRE VENEZA NO BLOG:

Acqua alta em Veneza: inundação bate recorde em 2019

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
  • Sobre

Giovana Penatti

Oi 🙂 Meu nome é Giovana, sou jornalista e criei o Beijo e Ciao para falar sobre viagens: dicas de passeios, lugares incríveis, experiências transformadoras e as dores e alegrias de morar fora! Originalmente, sou de Piracicaba-SP. Hoje, moro na Itália. Para saber mais sobre o blog e entrar em contato, clique aqui!

  • Comentários